sábado, 7 de março de 2015

Sofá

onde tudo começou...
O sol queima minhas ideias. Ao longe vejo o mar, mas isso
não me conforta. A fome que sinto não importa mais, já que
a imagem daquela mulher insiste em duplicar na minha
mente. As minhas mãos estão atadas, atravancando meus
sonhos.
Continuo só, como um artista apreciando sua obra. Sou
apenas um sofá.
(18 de agosto de 2005)

Nenhum comentário:

Postar um comentário